• Paraíso17

Procuradoria Regional Eleitoral dá parecer à defesa de Gilberto Garcia

Caso TRE acompanhe entendimento, Gilberto e Nenão permanecerão nos cargos e cumprirão mandato até o fim
Da Redação / Imagens: Jornal da Nova/Arquivo
27/05/2017 10h00
Prefeito Gilberto Garcia (PR) / Imagens: Jornal da Nova/Arquivo

A Procuradoria Regional Eleitoral em Mato Grosso do Sul se manifestou favorável à defesa do prefeito Gilberto Garcia (PR) e seu vice, Nenão (PMDB), em recurso que tramita no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contra a permanecia de ambos, por conta de terem cometido eventual crime eleitoral durante as eleições municipais do ano passado.

 

Leia também

>> Valeriano Fontoura reforça defesa de Gilberto e Nenão
>> Primeiro semestre promete definir futuro político de prefeito, vice e vereador

>> Defesa de Gilberto Garcia e Nenão entra nesta quinta com recurso no TRE

>> Partidos políticos já se movimentam em Nova Andradina

>> ''Respeitamos, mas não concordamos'', diz Gilberto Garcia, sobre a decisão da Justiça Eleitoral

>> Advogado explica processo de cassação de Gilberto e Nenão

>> Justiça anula eleições e Gilberto e Nenão são cassados

>> MPE pede cassação de Gilberto e Nenão por abuso de poder

 

Prefeito e vice foram condenados em primeira instância, acusados de terem manipulado as inserções de propaganda eleitoral, deixando em evidência as suas respectivas chamadas na rádio Excelsior FM, cujo Nenão é diretor, em detrimento aos demais candidatos aos mesmos cargos. A condenação visava o afastamento e a inelegibilidade de ambos por oito anos.  

 

Gilberto e Nenão recorreram da sentença ao TRE, que solicitou à Procuradoria Regional Eleitoral em Mato Grosso do Sul um parecer sobre o caso, antes de decidir se mantém a condenação ou absolvo a dupla para que permaneçam nos respectivos cargos e concluam seus respectivos mandatos.

 

“Após análise detida dos autos, reforma da sentença é medida que se impõe, pois, independentemente de quem seja responsável pela administração do Rádio Excelsior isto é, se é Newton Luiz ou se é o filho do Deputado Maurício Picarelli, correlegionário de Roberto Hashioka -, resta evidente que não houve utilização indevida da emissora em prol de José Gilberto em detrimento de Roberto Hashioka”, traz trecho do parecer, que conclui: “Por essa razão, PROCURADORIA REGIONAL ELEITORAL manifesta-se pelo conhecimento provimento do recurso, fim de que presente AIJE seja julgada improcedente”.






VEJA MAIS